Coroa Gordinha Na Siririca

Coroa Gordinha Na Siririca

Coroa Gordinha Na Siririca

Naquele fim de semana, ao caminharem pela praia, realmente chamaram muita a atenção, pela beleza de rosto, pelo corpo que tinham, e pelo charme.

Chamei-a de safada e deixei meu corpo cair sobre o dela. Fiquei com muita raiva por dentro mas me segurei pois eu ia dar algum jeito de comer ela de alguma forma.

Pensei no nome dela “Luanaa… Luaaanaa” e isso excitava-me.

Ela sempre tinha ido acompanhada, mas das últimas vezes não foram legais. Ele não se incomodava de saber que Fátima estava com outro, longe, aproveitando um feriado prolongado, e transando sem parar. Aos poucos, a rola dele vai entrando no cuzinho da minha esposa, até penetra-lo totalmente. Rapidamente eles saíram da sacristia.

Eu já sonhei comendo minha sobrinha várias vezes pois ela é uma ninfeta bem gostosa, morena, magrinha e peituda, do jeito que eu gosto. Se gostarem eu continuo contando minhas experiências.

Ela com cara de espanto, falou:– Ham??(eu) – Descculpa, foi no impulso.

Me ajoelhei ao seu lado já com meu pau duro, e fui alisando seu corpo sem que ela nada dissesse. Ele a pegou com força e virou de barriga pra cima,dando mordidas e chupadas no peito dela. Ela pegava o lençol mordia, gemia alto, depois baixinho, ria e quando ela ria , eu sabia o que estava acontecendo.

Muito sério e sem esboçar nenhuma emoção, passei por aquela cadela no cio e fui até a porta. Eu rodava devagar e todos me encaravam, pois estranhavam uma menina de 19 anos naquele lugar onde só tinha coroa viado e no máximo uma madame mal amada. Se encheu de coragem, pegou um táxi e foi.

Tá afim?""Bom, vou contar agora como foi a segunda vez que aconteceu com o cara que conheci no bate papo.

Continuei saindo com a gordinha japa (vou chamá-la de Aline) e em todas eu comia ela e ela me comia com o pênis portátil dela, até que um dia ela me fez uma proposta.

Feche a porta quando sair, Diogo.

Enfiei o dedo na boceta e comecei uma siririca, depois auxiliada pelos dois.