Flagra amador brasileiro real brasileira fio dental tocando siririca em publico para maridão tarado – sp

18 segs

Categoria:

Tag:

visualizações

18 segs

Categoria:

Tag:

Flagra amador brasileiro real brasileira fio dental tocando siririca em publico para maridão tarado – sp

Flagra amador brasileiro real brasileira fio dental tocando siririca em publico para maridão tarado – sp

Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal.

Eu perguntei o motivo de ele dizer isso, e ele disse que ele tava louquinho por mim, que queria foder comigo, que desde a primeira vez que me viu ele não consegue esquecer o meu jeitinho e nem o meu perfume, eu argumentei com ele dizendo que não podia rolar nada até porque ele era casado tinha até filhos, e ele me pegou nos braços fortes e quentes dele e perguntou se eu não queria nada nada com ele, ele me prometeu que se eu jurasse que não desejava foder com ele ele me soltaria, e eu não poderia mentir pra ele nem pra eu mesma, então fiquei quietinha enquanto sentia a respiração daquele negro, do sorriso envolvente e do olhar que deixa qualquer mulher com o psicológico abalado, então ele me pôs contra a parede, e me beijou a boca, eu fechei os olhos e me entreguei totalmente, não poderia nem me dar o desfrute de pedir pra parar de interromper por medo de meu papai ou minha mamãe nos pegarem no flagra, estava tão bom aquele clima de escondido é mais gostoso, logo ele parou o beijo e foi descendo a mão, pela minha barriguinha até chegar ao meu capozinho de fusca, que estava repartido no meio pela calça leggin, ele começou a esfregar o dedo do meio da mão dele no vão que a calça fazia na minha xaninha, começou a me masturbar por cima da calça e logo deu pra ele sentir o tecido úmido, ele cheirou o dedo e sorriu, eu fiquei constrangida por ele ver que eu estava molhadinha, mas como não ficar se eu morria de tesão por ele e ele tava tocando uma siririca gostosinha pra mim. Andréia foi lá e começou a chupar o cuzinho de Tony que fez milagrosamente um 69 comigo me sem se esquecer de limpar o meu rabinho melado com sua própria porra;Desliguei o telefone, era o marido dela, um oficial de alta patente da marinha brasileira, 3 seguranças pessoais e diversas armas para proteção pessoal, típico militar autoritário ciumento e machista, e além de tudo, corno. Aos poucos meus lábios iam tocando a pele de seus seios.

ao mesmo tempo que urrava de prazer também fazia caretas de dor, para o deleite do meu maridão já quase gozando.

rnAs loucuras de meu querido sogro tarado estavam igualmente me transformando em uma ninfomaníaca completamente sem juízo. Não resistia à sua bunda, olhando sem muita visão, de lado e então puxei-a sem tirar o pau, colocando a de quatro e então ela ficou louca de tesão e disse: “Vem meu garanhão, monta sua eguinha, fode meu cuzinho, fode, fode” e soltava gritinhos de “aiiiii, que pica dura, que gostoso um pauzão no rabo, que delícia dar o cuzinho”, eu admirava a cena dela de quatro com meu pau entrando e saindo de sua cuzinho, a marquinha de biquíni parecia uma pequena setinha indicando o caminho da felicidade, eu apertava sua bunda dura e metia em seu rabinho, segurei ela pela cinturinha fina e encaixei-a em minha virilha, com o pau estocado até o fim em seu cuzinho, metia e sentia meu saco batendo em sua buceta, paralisei por uns segundos e iniciei movimentos de vai e vem como seu corpo, fazendo com que seu cuzinho deslizasse por toda a extensão do meu cacete e ela então começou a alisar a xoxotinha, tocando uma siririca gostosa, enfiava o dedo em sua buceta e apertava o clitóris, eu a levava pra frente e pra trás, pequenina e encaixada em meu pauzão pelo rabinho. "Daniel me vê e fala: gostosa, vou arregaçar o seu rabo…Ele me pede pra ficar de 4, fui para cama tirei a calcinha, arrebitei a bunda e esperei ele…Daniel pega o lubrificante passa no pau e no meu cuzinho…"– Oi Yumi, o que houve? Algum problema com a nossa filha?"Eu: vou me preparar e ja voltoFui ao banheiro, fiz uma chuca caprichada, deixei tudo limpinho, coloquei uma calcinha fio dental e um vestidinho e voltei para o quarto…"Quando deu umas 16hrs resolvi comer alguma coisa,fui para o andar de baixo e quando vou para a cozinha passando pela sala, vejo as duas sentadas no sofá assistindo televisão e dividindo o mesmo sorvete numa taça. Ela sempre teve atração por Bombeiros, dizia que ficava excitada quando via um bombeiro bonito, fardado, de bota, calça, camisa do uniforme ou camiseta vermelha, que imaginava sendo possuída por um bombeiro alto, grande e forte, com um pau grande, grosso e cabeçudo, de farda em algum local público, ou para aumentar seu tesão, no quartel. – Não tem jeito, papi…os amantes europeus não são como os brasileiros… aliás, não são como você, o melhor de todos.