Pornô Que Vazou Na Net Mulata Cadelinha Tocando Siririca Em Publico Para Padrasto Tarado Da Vila Embratel – Sp

2 min

Categoria:

Tag:

visualizações

2 min

Categoria:

Tag:

Pornô Que Vazou Na Net Mulata Cadelinha Tocando Siririca Em Publico Para Padrasto Tarado Da Vila Embratel – Sp

Pornô Que Vazou Na Net Mulata Cadelinha Tocando Siririca Em Publico Para Padrasto Tarado Da Vila Embratel – Sp

Tudo começou quando vi meu padrasto nu trocando de roupa em seu quarto, vendo aquela cena senti algo que não havia sentido antes, sentia minha bucetinha a contraindo toda meladinha, o observei até que terminasse completamente e logo corri para o meu quarto, tranquei a me deitei na minha xana com o objetivo de me “acalmar”, mas não adiantou, eu estava completamente molhada.

"Ola meu nome é Adson tenho 18 anos um pau em cerca de 18,7 cm e é bem grosso bom minha mãe e uma mulher de 38 anos tem uma bunda bem grande e um peito maravilhoso isso aconteceu num certo dia q minha mae estava estranha e ficava o tempo todo no quarto quando foi a noite eu ouvi ela gemendo eu pensei q ela tava passando mal quando entrei ela tava se masturbando aquela sena de uma mulata toda molhada com dois dedinho na bucetinha q maravilha de mulher ela tomo um susto quando me viu e grito mandado q eu sai se do quarto eu sai e fiquei no meu quarto pensando nela na hora ninguém lembra q era sua mãe eu nunca desejei tanto uma mulher,eu custumo dormi só de cueca enquanto eu tava dormindo eu senti uma sensação muito gostosa no meu pau eu pensei q tava sonhado mais tava tão gostoso q eu pensei comigo não pode ser um sonho ate abri os olhos e ver aquela sena de uma mulher chupando meu pau não acretitei fiquei em estado de choque ai minha mãe disse,filho desculpa a mãe te gritado com vc e q a mãe ficou muito tempo sem si satisfazer e a mãe presisava disso,eu rir e ela falo q não sabia um jeito de mi desculpa então entrei no quarto e vi essa piroca maravilhosa a mãe não se siguro vc deixa a mãe usa essa piroca pra mi satisfazer,eu balançei a cabeça…O resto da historia conto na próxima vez essepero q gostem pq essa história tem um ótimo final-FILHO DA PUTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA.

Dei uma mordidinha na sua orelha e disse: “eu posso te proporcionar muito mais prazer do que so uma siririca… posso te chupar todinha ate vc gozar… vc quer?” Era uma grande sacanagem o que eu estava fazendo com ela! Logico que ela queria e que nao teria coragem de me pedir! Mas eu tinha que faze-la se libertar dessa prisao que ela vivia, por isso comecei uma especie de tortura… comecei a estimular, bem devagar, o seu clitoris com a ponta do dedo indicador e perguntava: “vc quer, Anne??” Como ela nao me respondia continuamos com esse ritual algum tempo.

Naquela tarde ele me fodeu de td que é jeito e cm sempre me fazendo gozar me chamando de safada, cadelinha e finalmente de PROSTITUTA e PUTA… Gozamos juntos, tomamos um banho e depois levei ele até a rodoviária, nos despedimos com um longo beijo, eu o abracei lhe desejando uma boa viagem e ele por sua vez me disse com essas palavras _Comporte-se bem minha PUTINHA SAFADA…Ele partiu!!!No final da segunda semana minha buceta já estava pegando fogo sentindo falta de uma boa surra de pica, no fim de semana me ví sozinha em casa eu e meus pensamentos pervertidos. O mar estava agitado, a maré cheia, as ondas que estouravam nas pedras e respingavam gotículas de água salgada no meu rosto, o que me proporcionava uma sensação de leveza e liberdade, impulsionada, obviamente, pelo álcool de algumas cervejas que eu bebia, eu estava ali, num estado semi meditativo, contemplando o mar, até que uma voz suave e sexy interrompe a minha pescaria:Senti seu pau entrando gostoso na minha bucetinha,tocando meu útero enquanto ele metia com vontade. Me conta as aventuras de ter um casamento aberto, das chupadas da esposa em vários lugares públicos. Estava de bobeira em casa uma certa tarde de chuva, sem nada para fazer e para completar a luz havia acabado, quando meu amigo o coroa de outros contos, me ligou perguntando se eu estava em casa e se poderia falar com ele na portaria, disse que sim e fui espera-lo, quando ele chegou estava trazendo seu PC para eu dar uma olhada pois estava lento, quando me viu, só de shorte de nylon, aqueles que a cueca é junto, e sem camisa, ele esqueceu o que tinha ido fazer e pediu para eu entrar no carro, dizendo que já estava com tesão só de olhar para mim, entrei no carona e como ele havia estacionado bem em baixo de uma amendoeira onde não dava para ninguém nos ver, eu sentei e fiz de uma forma que ele pudesse ver que estou sem cuecas, o coroa ficou tarado, colocou minha mão por cima de sua calça para sentir a pressão do caralho, falei que devia estar cheio de leite a ponto de explodir, ele então pediu para eu fechar a porta que nós iriamos dar uma volta até o Aeroporto, que ele sabia de um caminho que muita gente não sabe, ele então foi na direção do aeroporto e entro numa rua bem estreita que dava para o matagal, colocou o pau para fota e pediu para eu pegar, então eu apertei, alisei e fui me abaixando dando beijos e lambidas na cabeça do seu caralho, e fui colocando por inteiro na boca só ouvindo seus gemidos!"Para quem ainda não leu meu outro conto “Comi a Mulher do Meu Amigo”, sugiro que leia antes, pois esse é uma continuação.

Eu e a Yasmin sempre tivemos excelência em sexo, tudo era valido dentro de quatro paredes, levando todos nossos desejos para cama, sofá, carro, praça, trabalho, etc… Mas famoso Ménage à Trois, sempre ficava nos contos eróticos que ela lia, nos filmes pornôs que eu via, ou em algumas manifestações de desejo contando alguma história na hora H.