Vazo Na Net Bucetuda Gostosa Demais Tocando Siririca E Corno Filmando De Sao Vicente

97 seg

Categoria:

Tag: , , , ,

visualizações

97 seg

Categoria:

Tag: , , , ,

Vazo Na Net Bucetuda Gostosa Demais Tocando Siririca E Corno Filmando De Sao Vicente

Vazo Na Net Bucetuda Gostosa Demais Tocando Siririca E Corno Filmando De Sao Vicente

-Acho que vai ter que se aliviar sozinha, olha só como está molhada… – ele sorria, me filmando, entendi o que ele queria… Comecei a me masturbar na frente dos dois, que se masturbavam me vendo faze-lo também… No final, acabei toda molhada e respirando ofegante.

Ao chegar em casa, fui direto pro banho, pois aquele parecia que aquele cheiro de porra no meu rosto era forte demais, e minhas pernas pareciam que estavam grudando.

No dia seguinte a historia se repetiu, eu perguntei a ela se havia visto a rola dele de novo, ela disse que não, mais deu uma risadinha e disse mais eu fui tentar ver mais não deu e ficamos novamente exitados, eu então acabei falando na hora, já pensou aquela rola te arrombando, ela disse nossa que delicia, eu então falei você ficou com tesão para meter com ele, ela me respondeu eu sou uma mulher casada, se eu não fosse, ate poderia pensar, mas eu fiquei insistindo, ela disse você quer saber mesmo fiquei sim, nunca vi uma coisa daquela,ate gostaria mesmo de poder tocar, eu então falei e você acha que ele vai deixar você tocar sem sem meter ela todinha ai aqui dentro, e verdade teria que dar a boceta e o cu para ele, eu perguntei mais você teria coragem, se eu não fosse casada, ate poderia pensar no assunto, mais não adianta ficar falando no impossível, bem porque ele e seu primo, eu então perguntei e se eu deixar você dar para ele você daria, ela disse e melhor a gente parar por aqui, eu perguntei porque, porque esta conversa não vai levar a nada, só mesmo me deixar com mais tesão, eu então disse por isso mesmo que temos que conversar, ela então perguntou você esta querendo ser corno, se você deixar eu ate tenho coragem de tentar, eu então respondi esta bem vou arrumar isso,"Tenho 25 anos, sou universitário, estudo numa faculdade renomada no interior do estado de São Paulo no período da manhã e às vezes após as aulas e o almoço no restaurante universitário passo no escritório de advocacia do meu pai, que fica no caminho entre a minha casa e a faculdade.

”, Amanda ia comandando, ao mesmo tempo que ia tocando sua boceta. Abriu minha bunda e começou a beijar as minhas nádegas, uns apertos fortes, umas chupadas meio mordidas!! E de repente senti a língua dele no meu CU!! Pisquei o cu na hora!! Pensei que ele já estava preparando para querer meter no meu cu!!! Mas foi uma linguada, que foi ficando gostosa principalmente quando começou a brincar em minha buceta!!! Perecia que a língua dele queria me atravessar e como foi ficando gostoso!!! Sentir aquela língua no meu cu e aquele dedo em minha buceta!!!"Sentei no colo dele, ainda de cueca e beijei a boca dele, deixei ele mamar meu peito enquanto eu rebolava até eu explodir numa gozada gostosa!! A cueca preta que ele usava ficou toda melada de porra minha. Não resistia à sua bunda, olhando sem muita visão, de lado e então puxei-a sem tirar o pau, colocando a de quatro e então ela ficou louca de tesão e disse: “Vem meu garanhão, monta sua eguinha, fode meu cuzinho, fode, fode” e soltava gritinhos de “aiiiii, que pica dura, que gostoso um pauzão no rabo, que delícia dar o cuzinho”, eu admirava a cena dela de quatro com meu pau entrando e saindo de sua cuzinho, a marquinha de biquíni parecia uma pequena setinha indicando o caminho da felicidade, eu apertava sua bunda dura e metia em seu rabinho, segurei ela pela cinturinha fina e encaixei-a em minha virilha, com o pau estocado até o fim em seu cuzinho, metia e sentia meu saco batendo em sua buceta, paralisei por uns segundos e iniciei movimentos de vai e vem como seu corpo, fazendo com que seu cuzinho deslizasse por toda a extensão do meu cacete e ela então começou a alisar a xoxotinha, tocando uma siririca gostosa, enfiava o dedo em sua buceta e apertava o clitóris, eu a levava pra frente e pra trás, pequenina e encaixada em meu pauzão pelo rabinho.